AutorAciaja Jaboticabal

InícioArtigos postados por Aciaja Jaboticabal

Retomada da atividade econômica no pós-pandemia

Fórum trouxe a experiência de quem está no mercado e no setor público, além da visão acadêmica para a economia voltar a crescer

No dia 28 de junho, o IPJAB (Instituto de Pesquisas de Jaboticabal), em parceria com a ACIAJA (Associação Comercial, Industrial e Agronegócios de Jaboticabal) e a ACIRP (Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto), promoveu um encontro para debater o tema:  “Retomada da atividade econômica no pós-pandemia”. O fórum teve como mediador, Adriano dos Reis Lucente, Professor Assistente Doutor, do Departamento de Economia, Administração e Educação da Unesp, Campus de Jaboticabal, e Coordenador do IPJAB. Participaram como debatedores: João Batista, consultor de Negócios do Sebrae; Ana Cláudia Giannini Borges, Profª Drª em Economia da FCAV, Unesp Campus de Jaboticabal; Matheus de Biasi Vantini, executivo e proprietário da Rodo Jaboti; Lucas Souza Ramos Neto, secretário de Indústria, Comércio e Turismo de Jaboticabal.

Todos os setores econômicos estão em um processo de recuperação, depois que a pandemia deu uma trégua, apesar de ainda exigir atenção e cuidados. O evento teve como objetivo contribuir com a tomada de decisão dos empresários e a troca de experiências. Economia, iniciativas públicas e desafios em empreender foram tópicos discutidos entre os participantes.

Para João Batista, consultor do Sebrae, diante das adversidades, o cenário pós-pandemia pede uma mudança de comportamento. Ele falou como a entidade pode contribuir com as empresas. “Qual o papel do Sebrae diante disso? É impulsionar o cliente, fazê-lo arregaçar as mangas, ser criativo, buscar alternativas e oportunidades.”

Na visão acadêmica, é preciso haver um encontro dos esforços do empreendedor com um ambiente de mercado mais estável, como explica a Profa. Dra. Ana Cláudia Giannini Borges, da Unesp Jaboticabal. “O empreendedor, para que ele tenha segurança no seu investimento, precisa de um contexto mais estável, em que ele possa se programar para pegar novos empréstimos, com juros em que ele tenha uma previsibilidade; que tenha uma noção também do mercado consumidor e que esse mercado tenha uma capacidade de consumo. Importante também é um governo que estimule a geração de empregos, geração de trabalho e renda, porque se a gente tem trabalho e renda, a gente tem consumo. Se a gente tem consumo, tem crescimento. É isso que permite ao empreendedor investir mais e crescer.”

Matheus de Biasi Vantini, proprietário da Rodo Jaboti, trouxe sua visão de empreender sem perder o otimismo, mesmo diante das adversidades. “A gente acredita muito no empresariado que tem o viés mais otimista. A gente encara a realidade em que a inflação está muito alta, em que existem vários obstáculos que a gente precisa vencer. Mas é o empresário que não pode perder o otimismo e deve buscar soluções. Assim, não só passar por essa fase complicada, mas sobreviver e continuar crescendo.” 

Lucas Souza Ramos Neto, secretário de Indústria, Comércio e Turismo de Jaboticabal, destacou as necessidades entre os setores que foram mais impactados. “Falar do mercado no pós-pandemia é falar de um cenário extremamente desafiador. Acredito que a nossa economia tenha bastantes segmentos que estão indo bem no pós-pandemia e alguns outros que estão ainda passando por alguma dificuldade, como o comércio e o varejo. Percebemos que para o segmento que sofreu mais na pandemia, o novo mercado tem que ser adaptado com novas tecnologias. A mão de obra, cada vez mais, precisa estar qualificada. A indústria tem emprego, e nós não temos mão de obra qualificada. Eu não tenho dúvida de que este pós-pandemia é desafiador sim, mas cheio de oportunidades para as pequenas e médias empresas.” 

O evento também trouxe o potencial mobilizador da parceria entre as entidades: ACIAJA, IPJAB e ACIRP, visando mostrar caminhos para o mercado de Jaboticabal. Paulo Henrique Bellingieri, diretor-secretário da ACIAJA, que estava representando o presidente Mauricio Palazzo Barbosa, falou sobre esse assunto. “O evento promoveu um debate de alto nível sobre a retomada da atividade econômica no país. As diferentes perspectivas sobre o tema, justificadas pelas diferentes áreas de atuação dos palestrantes, serviram para enriquecer a discussão. Esse foi o pontapé inicial que marca a consolidação da parceria entre a Aciaja e o Ipjab com a Acirp e seu instituto de pesquisa. A iniciativa visa aproximar os dois institutos na promoção de dados de relevância econômica e social para a região metropolitana de Ribeirão Preto. Serão benefícios regionais e locais, na medida da troca de experiência e metodologias de pesquisa. Isso proporcionará um maior volume de dados a ser trabalhado localmente e trará novas abordagens para fomentar o setor produtivo de Jaboticabal.”

Compartilhar
Continue Lendo

ACIAJA reinaugura sua sede e apresenta oficialmente os diretores do próximo triênio

Preservar a arquitetura e cuidar da estrutura de um imóvel é cuidar da história ao longo dos anos! A sede da Associação Comercial, Industrial e Agronegócios de Jaboticabal, ACIAJA, fica em um prédio construído em meados da década de 1950, à Rua São Sebastião. A Associação instalou-se no imóvel há 43 anos, em 1978, e no dia 1 de dezembro de 2021, a sede foi reinaugurada, depois de uma importante reforma.

Na mesma noite foi apresentada oficialmente a Diretoria eleita na Assembleia Geral Ordinária, realizada no último dia 8 de novembro. Os diretores e conselheiros eleitos farão parte da gestão pelo mandato de três anos, de 2022 a 2024.

No evento também foi promovida a confraternização de fim de ano, uma iniciativa tradicional na ACIAJA, interrompida no ano passado, devido à Covid-19. Em virtude das restrições impostas pela pandemia, a reunião ocorreu com número restrito de pessoas e seguindo os protocolos de prevenção, definidos nos decretos dos governos do Estado de São Paulo e do município.

Maurício Palazzo Barbosa, presidente reconduzido ao cargo, comenta sobre a reinauguração. “A ideia de revitalizar o prédio da ACIAJA surgiu diante da necessidade de dar a devida manutenção ao imóvel. Por se tratar de um imóvel antigo exige manutenções periódicas. Fizemos um projeto inicial para as devidas manutenções técnicas, onde havia necessidade. No entanto, a diretoria avaliou melhor e optou por uma revitalização, mantendo todas as características e valorizando a arquitetura original, sem causar nenhuma interferência nessa estética. ”

O 1º tesoureiro da ACIAJA, Hélio César da Costa, eleito vice-presidente para a próxima gestão, comentou sobre a importância de realizar a obra. “Eu acho que o prédio como um todo precisou passar por melhoramentos, assim como qualquer outro imóvel precisa passar por obras, e nós conseguimos dar andamento neste projeto. Quem ganha com essa revitalização não é só a ACIAJA, mas sim o município de Jaboticabal. Nós temos a Associação no coração da cidade, e essa revitalização, tenho certeza, só engrandece a ACIAJA, o nosso empresariado e a nossa cidade.”

Composição da mesa

Em nome da ACIAJA e sociedade, compuseram a mesa, o presidente da Associação, Maurício Palazzo Barbosa, o presidente do Conselho Deliberativo, Celso Cassiano, o presidente do Feja, Rodrigo Geraldo, o secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Lucas Ramos, e a presidente da Câmara Municipal, Renata Assirati.

Em seu discurso, Maurício agradeceu aos diretores, que atuaram no recente mandato, aos colaboradores e aos familiares. Sobre os parceiros, ressaltou os benefícios ao associado. “Ainda falando de parcerias, essas são muito importantes para o bom desempenho da nossa instituição, pois nossos associados têm serviços de qualidade. Obrigado a todos que participaram e participam da história da ACIAJA, que no mês de janeiro completará noventa anos. Vamos juntos construir a trajetória dos próximos noventa anos.”

Maurício Palazzo Barbosa
Presidente reeleito ACIAJA

“O Mauricio, nesse primeiro mandato, representou muito bem nossa entidade e soube conduzir nosso destino. Destaco também o Benvindo Gonçalo Silva, que fez a primeira reforma, que preparou essa estrutura, e o Mauricio em sua gestão, complementou. Parabéns, Mauricio, pela sua gestão. Eu tenho certeza de que o Comércio, a Indústria e o Agronegócio estão muito bem representados por sua gestão.”

Celso Aparecido Cassiano
Presidente do Conselho Deliberativo ACIAJA

Nesses três anos, Maurício cuidou da gestão da ACIAJA com muita sabedoria, paciência, e conquistou os munícipes de Jaboticabal. Isso é muito bom. Fazer parte dessa diretoria é um prazer, e espero que nestes próximos três anos, venham novas conquistas para que todos ganhem com esta administração.  Parabéns e sucesso por mais três anos!”

Rodrigo da Costa Geraldo
Presidente do FEJA, Diretor Adjunto ACIAJA

“A trajetória da Aciaja nesses quase 90 anos é muito importante, porque o Comércio, a Indústria e o Agronegócio, aqui para nossa cidade, assim como para outros municípios são fortíssimos. Sem eles, a cidade não se movimenta, a Prefeitura e a Câmara não se movimentam. Fico honrada em estar aqui, como pessoa e como representante da Câmara e mostrar essa junção da ACIAJA, com os poderes Executivo e Legislativo. Um setor depende do outro.”

Renata Assirati
Presidente Câmara Municipal

Hoje é uma noite muito especial. Quando a gente vê o Celso, o Humberto, o Arthur, o Ricardo, o Gonçalo, pessoas antigas da Associação, o Maurício e o Conselho como um todo, nós hoje, do setor público, nos sentimos muito confortáveis para o diálogo. É muito importante estarmos juntos.  O setor produtivo de Jaboticabal sofreu muito nos últimos anos. A ACIAJA, o Feja, a CDL, a Câmara Municipal, o Governo Municipal, todos de mãos dadas, conseguimos achar o caminho. Eu não tenho dúvida de que a sua recondução no cargo, Maurício, nos deixa de coração muito leve, porque a ACIAJA está em boas mãos.” 

Lucas Ramos Ramos
Secretário de Indústria, Comércio e Turismo de Jaboticabal
Membro Conselho Deliberativo ACIAJA

Compartilhar
Continue Lendo

AGO da ACIAJA – Assembleia elege Diretoria para o próximo triênio

No dia 8 de novembro, a Associação Comercial, Industrial e Agronegócios de Jaboticabal, ACIAJA, realizou sua Assembleia Geral Ordinária 2021, para a eleição da nova diretoria, que estará à frente da entidade no triênio 2022/2024. O presidente da Associação, Maurício Palazzo Barbosa, conduziu os trabalhos com o apoio do 2º secretário Paulo Henrique Bellingieri e dos conselheiros Celso Aparecido Cassiano e Marcelo José Perina.

Com a inscrição de uma única chapa, a votação ocorreu por aclamação, e a assembleia aprovou por unanimidade a nova Diretoria. Maurício Palazzo Barbosa foi conduzido à presidência e falou sobre os desafios dos últimos anos. “Foram anos bastante desafiadores, não só para a ACIAJA, mas também para os empresários da nossa cidade. Tivemos que superar restrições de funcionamento, o medo do desconhecido e uma crise financeira, que se avistava em decorrência da pandemia. A pandemia está sendo vencida, e os empresários saem mais fortalecidos depois das dificuldades atravessadas. Podemos concluir que estamos agora em um período em que se inicia a retomada da economia e a retomada empresarial. Temos grande expectativas para os próximos anos”, afirmou.

Maurício comentou ainda sobre as perspectivas para o próximo triênio. “Vamos dar continuidade aos trabalhos iniciados na primeira gestão (2019- 2021), que tiveram o objetivo de trazer novas parcerias para a ACIAJA. Tivemos parceiros que se aproximaram e que hoje atuam junto conosco, como Call Contábil, CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola), IPJAB, Unimed Jaboticabal, Uniodonto, Unitas, Franquia Serasa, Sebrae, Sicoob Coopecredi e Sodexo Cartões. São parcerias de negócios que deram muito certo, que trouxeram bastante crescimento e que viabilizam diversos serviços aos nossos associados.”

Chapa eleita Assembleia Geral Ordinária 2021

Triênio 2022-2024

Diretoria Administrativa

  • Presidente – Maurício Palazzo Barbosa (Venire Empreendimentos Imobiliários LTDA.)
  • 1º Vice-Presidente – Hélio César Viera da Costa (Beraldo Costa Contabilidade Empresarial)
  • 2º Vice-Presidente – Arthur Dória Guzzo (Guzzo Arquitetura e Construção LTDA.)
  • 1º Secretário – Paulo Henrique Bellingieri (Reúsa Conservação Ambiental LTDA. EPP)
  • 2º Secretário – Lucas Souza Ramos Neto (Realiza Empreendimentos Imobiliários LTDA.)
  • 1º Tesoureiro – Arthur Fernandes Machado (Quant- Segurança no Trabalho Rural)
  • 2º Tesoureiro – José Francisco Penariol (Concreteto Usina de Concreto LTDA.)

Diretores Adjuntos

  • Bruno Henrique Morello Bianco (Bianco e Machado- Recuperação de Crédito)
  • Nilson César Donadon (KND Consultoria e Treinamento S/S LTDA.)
  • Rafael Ijanc (Helija Organização Contábil S/C LTDA.)

Conselho Deliberativo ACIAJA

  • Presidente – Celso Aparecido Cassiano (Purilub)
    Vice Presidente – Ricardo Bellodi Bueno (Eletrofio)
  • Secretário – Humberto Montans Bellodi (Teto Materiais Para Construção LTDA.)
  • Antonio Carlos Ferraro (Aladin Ferragens)
  • Benvindo Gonçalo Silva (Lojas Certeza)
  • Celso de Stéfani Cassiano (Purilub)
  • Wladimir Morgatto (San Marino Empreendimentos Imobiliários LTDA.)
  • Luiz Gonzaga Beraldo (Perfumaria Beraldo)
  • Matheus de Biasi Vantini (Expresso Rodo Jaboti)
  • Rodrigo da Costa Geraldo (Em Dia Administração e Cobrança LTDA.)
  • Júlio César Thomé (Rádio Vida Nova)
  • Ricardo Antônio Moreno (Óticas Carol)
  • Hugo de Stéfani (Cerâmica Stéfani)
  • Nelson Aparecido Pretti (De Paula)
  • Lucilene Cristina Camargo Silva (Paradise Shop)
  • Marcelo José Perina (Tinta e CIA)
  • Henrique Morgatto (San Marino Empreendimentos Imobiliários LTDA)
  • Tatiana Berlingieri Lusvargui (Prever)
  • André Luís Vieira Da Costa (Beraldo Costa Contabilidade Empresarial)
  • Sérgio de Souza Nakagi (Coplana – Cooperativa Agroindustrial)
Compartilhar
Continue Lendo

Covid-19: Profissionalismo foi base para setor produtivo vencer desafio

Em relação à covid-19, iniciamos o ano de 2021 com número de casos em patamares elevados, e diversas restrições foram mantidas. Em Jaboticabal, o setor produtivo continuou seu trabalho árduo de prevenção, visando à saúde e bem-estar dos funcionários e sociedade. Ao mesmo tempo, empreendeu esforços para assegurar o movimento da economia, assim como os empregos.

Foi dessa forma que o Comércio, Indústria, Serviços e o Agronegócio do município venceram os períodos mais críticos de um desafio mundial. Com persistência e responsabilidade, empresários e equipes dos setores produtivos deixaram claro que a frase “juntos a favor da vida” não se tratava de discurso, mas de ações práticas do dia a dia. Ao seguir protocolos preventivos, as empresas mantiveram-se e mantêm-se como locais seguros durante a pandemia.

 

Conversamos também com a Prefeitura e a Câmara Municipal para colher impressões sobre este período. Para o Secretário de Indústria, Comércio e Turismo do município, Lucas Ramos, as restrições não agradaram a todos, mas ocorreram em virtude do momento vivido pela região. “Conversamos com as empresas semanalmente. Quando você precisa tomar uma medida restritiva, alguém vai ficar descontente em algum momento. Mas a maioria das ações foi bem vista pelo setor produtivo. De 29 de março para cá, a cidade não parou mais, enquanto cidades da região tiveram até mesmo lockdown”, afirmou. A presidente da Câmara Municipal de Jaboticabal, Renata Assirati, destacou a importância da prevenção continuada. “… Na economia, presenciamos uma transformação: empresários, comerciantes e pessoas que perderam emprego e a estabilidade e tiverem que se reinventar. Gostaria de ressaltar o papel dos empresários de Jaboticabal, todos cuidando de seus colaboradores, clientes e respeitando as normas de segurança e higienização. Esse é um importante passo. É preciso que todos respeitem o uso obrigatório de máscaras, continuem usando álcool em gel e fazendo a higienização correta. Temos que cuidar da nossa cidade”, destaca a presidente da Câmara.

Compartilhar
Continue Lendo

Aterro Sanitário de Jaboticabal perto de seu esgotamento

Com a proximidade do fim da vida útil do aterro, entidades do setor produtivo discutem soluções

No dia 20 de maio, o setor produtivo discutiu A “Vida útil do Aterro Sanitário e o futuro da destinação dos resíduos sólidos urbanos e da construção civil em Jaboticabal”. Essa foi uma iniciativa conjunta entre Associação Comercial, Industrial e Agronegócios de  Jaboticabal, ACIAJA, Fórum de Entidades de Jaboticabal, FEJA, Ordem dos Advogados do Brasil (6ª Subseção de Jaboticabal), OAB, e Associação Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Jaboticabal, AREA. O debate contou com o apoio institucional da Prefeitura e Câmara Municipal. Teve a participação de técnicos, interessados diretos no setor e membros de entidades representativas.

Como é de conhecimento público, o Aterro Sanitário do município está próximo do seu esgotamento. Irá atingir a capacidade máxima de operação em três anos, o que é considerado um tempo bastante curto para a execução de projeto de ampliação ou para uma solução diferenciada na destinação adequada dos resíduos sólidos urbanos. Com  a discussão, as entidades tiveram o objetivo de contribuir para a busca de caminhos que  atendam às necessidades de Jaboticabal, de forma emergencial e também no médio e longo prazo.

A apresentação do conteúdo foi conduzida pelo Prof. Dr. Rudinei Toneto Junior, livre docente em Economia da Universidade de São Paulo, USP, e Fábio Marques, coordenador de Projetos Sólidos da Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia, Fundace. Eles trouxeram uma visão técnica sobre o panorama geral de resíduos sólidos no Brasil, além de uma análise específica sobre o Aterro Sanitário de Jaboticabal.

“Eu destacaria que Jaboticabal já tem investimentos colocados. Existem já instalações e existe uma experiência com o aterro municipal. Há uma possibilidade de buscar a gestão integrada. Vocês já estão em uma condição de ‘financiabilidade’, com a taxa [do lixo] já aprovada. Jaboticabal está em uma posição favorável para avançar e adotar modelos de gestão mais ousados nessa área”, afirmou o Prof. Rudinei.

Para Fábio Marques, a tomada de decisão deve ocorrer muito em breve. “Jaboticabal tem um desafio pela frente e uma grande oportunidade. Está à frente de muito municípios, pois tem taxa, estrutura local implantada e tem engajamento. O que estamos fazendo hoje [com o fórum] é muito importante, envolvendo a sociedade e as entidades. É algo diferente e conta muito. O tema é urgente, estamos a três anos do final da vida útil do aterro, e a decisão tem que ser tomada em breve para não comprometer as finanças e a estrutura que Jaboticabal conseguiu fazer até hoje”, concluiu.

 

Avaliação da iniciativa

“Vejo com bons olhos e com o horizonte cada vez mais largo, a possibilidade de nós, não apenas resolvermos um problema de Jaboticabal, mas pensarmos também em  nossa região que contempla praticamente 23 municípios no entorno da nossa cidade. Por que não dizer 44 municípios da região de Ribeirão Preto? Eu sei que é uma ousadia de minha parte dizer isso, mas precisamos pensar na possibilidade da resolução do problema para os próximos 50 anos. O que eu desejo é que este fórum seja para nós um marco inicial da solução para o problema ambiental que nos afeta há muitos anos. Certamente, apresentará os caminhos para as soluções dos problemas que temos e teremos daqui para frente.” 

Emerson Camargo, Prefeito Municipal,

 

“Considero que foi excelente o fórum, principalmente em termos de conhecimento mais profundo sobre as diretrizes que o município pode ter daqui para frente. Tive a oportunidade de aprender muito com as explicações. Por exemplo, é claro o quanto hoje a produção de lixo em Jaboticabal pode e deve ser melhorada, tanto na reciclagem, como no reaproveitamento de materiais. Nosso aterro sanitário, hoje, precisa ser renovado, porque ele já está no seu limite. É importante que a sociedade também colabore, que separe o lixo orgânico do reciclável. Muitos munícipes já fazem isso, e é importante que cada vez mais pessoas se conscientizem desta necessidade.”

Renata Assirati, presidente da Câmara Municipal de Jaboticabal

 

“O que nós esperamos com este debate é buscar soluções para a ampliação do aterro e implantação de uma usina de reciclagem para a construção civil, o que promoveria o retorno desses resíduos como matéria-prima para a própria cidade. Pensando no futuro, essa discussão visa enxergar a cidade daqui 30, 40, 50 anos, com maturidade para a reciclagem, o reúso e a geração de empregos para os cidadãos jaboticabalenses.”
Arthur Guzzo, Presidente do FEJA

 

“É de grande importância um evento como esse realizado pela ACIAJA e instituições parceiras: FEJA, OAB e AREA. Demonstra nossa preocupação com a situação dos resíduos em nossa cidade e com o futuro do aterro sanitário. Nós nos unimos para debater o assunto e construir um caminho, visando soluções. Já começamos a colher resultados, tendo em vista iniciativas do SAAEJ e Prefeitura, sensibilizados com a questão. Nossas entidades são parte sensível, mas sabemos que a solução vem da Prefeitura e SAAEJ. A ACIAJA e instituições parceiras não possuem mecanismos para solucionar o problema do aterro, mas sim para buscar conhecimento e promover uma discussão técnica, que contribua com o governo municipal.”

Maurício Palazzo Barbosa, presidente da ACIAJA

 

Depois do evento, nossa reportagem conversou com Lucas Ramos, secretário de Indústria, Comércio e Turismo de Jaboticabal. Ele disse que havia participado de diversas reuniões sobre o assunto, no governo municipal.

“Este é um tema extremamente importante, pois afeta o dia a dia da cidade. O prefeito ficou muito contente, pois a pauta sobre o aterro sanitário veio do setor produtivo. Estamos realizando um estudo de modelagem, que identifica a viabilidade econômica. O objetivo é realizar a concessão do aterro à iniciativa privada. O caixa do setor público não atende ao aterro no curto, médio ou longo prazo. Com esta modelagem, vamos saber os aportes que serão necessários e qual será a oportunidade para a concessão, que é uma unanimidade no governo municipal como solução para essa questão.”

Lucas Ramos, secretário de Indústria, Comércio e Turismo de Jaboticabal

Compartilhar
Continue Lendo

“Tratoraço” reverte aumento no ICMS

Os meses de janeiro e fevereiro foram marcados por mobilização do setor do agronegócio, junto a outros segmentos produtivos. No dia 7 de janeiro, associações e cooperativas, principalmente de produção agrícola, realizaram um “Tratoraço” contra o reajuste na alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, ICMS.

A mudança no imposto previa, por exemplo, 4,14% a mais de ICMS em insumos agropecuários; 4,14% em hortifrutigranjeiros; média de 4% em medicamentos genéricos; 1,3% no etanol e no diesel; até 8,9% nas carnes; até 8,4% no leite; e mais 12% na energia elétrica do campo.

Ao encarecer a produção agrícola, o reajuste levaria ao aumento no preço de itens da cesta básica, com consequências também para a população em geral. Com o objetivo de evitar as mudanças, a manifestação pacífica alcançou mais de 200 cidades do Estado.

Em Jaboticabal, a iniciativa foi organizada pelo Sindicato Rural de Jaboticabal; Coplana; Socicana; Sicoob Coopecredi; Associação Comercial, Industrial e Agronegócios de Jaboticabal; e Câmara de Dirigentes Lojistas de Jaboticabal

Para Sérgio de Souza Nakagi, Diretor Coordenador da Diretoria de Agronegócios da ACIAJA e Presidente do Sindicato Rural de Jaboticabal, o protesto foi bem-sucedido. “Tivemos um evento muito organizado, prezamos por isso. Os produtores e membros da comunidade se uniram por uma causa que integrou mais o setor produtivo. Já começou a surtir efeito, mas o trabalho continua. Nosso sentimento é de gratidão a todos que nos apoiaram”, afirmou.

O que o movimento conseguiu?

O governador de São Paulo, João Doria, manifestou-se já na noite anterior ao “Tratoraço”, dia 6 de janeiro, falando do cancelamento da alteração na alíquota sobre alimentos, medicamentos e insumos agrícolas.

E como reflexo dessa iniciativa, no dia 17 de fevereiro, cerca de 90 entidades rurais, entre cooperativas, associações e sindicatos, realizaram outra manifestação, desta vez na cidade de São Paulo, contra a “lei do cheque em branco”, ou seja, o artigo 22 da Lei 17.293/20, sobre poder ao governo do Estado de São Paulo para realizar ajustes fiscais independentemente da aprovação na Assembleia Legislativa.

Com esses movimentos, o setor mostrou sua força de organização, seu objetivos coletivos e maneira pacífica com que manifesta suas opiniões. Um exemplo que foi admirado em todo o país.

Compartilhar
Continue Lendo

Saúde e segurança de clientes e colaboradores

Durante videoconferência, realizada no dia 6 de agosto, o presidente da Unimed Jaboticabal, Dr. Luiz Roberto Lins Ferraz, falou sobre aspectos que envolvem a Covid-19. O público inscrito foi formado por empresários da cidade, atentos para conhecer as melhores formas de preservar a saúde e a segurança de clientes e colaboradores.

Dr. Ferraz explicou que os coronavírus são uma grande família, conhecida desde o começo do milênio pela medicina, composta por vírus que causam doença respiratória, e principalmente presente entre animais. No entanto, sete destes vírus são conhecidos por causar doenças em seres humanos. O MERS-CoV, que foi identificado em 2012 como a causa da síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS); e o SARS-CoV, que foi identificado em 2002 como a causa de um surto de síndrome respiratória aguda grave (SARS).

O Dr. Ferraz explicou como é feita a transmissão do SARS-CoV-2, lembrando que o contágio acontece, principalmente, pelo tato e partículas suspensas no ar. Portanto, é imprescindível não levar as mãos ao rosto antes de lavá-la, manter o distanciamento e usar máscara. Segundo ele, todas as informações acerca do vírus são ainda muito recentes. “Por exemplo, não se tem dados confiáveis sobre a transmissão fetal”, disse. Ele reforça que pessoas aglomeradas em filas e sem máscara são as que correm mais risco, além, é claro, das que possuem comorbidades.

O médico tranquilizou os participantes sobre a contaminação em empresas. “O ambiente de trabalho, com raras exceções, costuma ser um dos mais seguros. A empresa adota normas de prevenção e diante de qualquer suspeita já afasta o colaborador. As normas são muito respeitadas, o que reduz muito os riscos”, comentou. Ele informou que o tratamento ainda é polêmico, mas que no caso local é feito com anticoagulantes e uso de ventiladores, quando necessário e na hora certa.

Segundo ele, em Jaboticabal, a Unimed começou a tomar providências muito cedo, devido a um grupo que esteve em situação de risco e circulou pela cidade. O presidente da Aciaja, Maurício Palazzo Barbosa, agradeceu a participação do médico e sua atuação no sentido de quebrar mitos e oferecer aos empresários mais informações para tomarem decisões acertadas. “O comércio e as empresas têm lidado muito bem com a prevenção. Não adianta interrompermos as atividades laborais, enquanto festas e aglomerações são realizadas em outros locais. O principal é trabalharmos seguindo as normas dos agentes de saúde”, encerrou Maurício.

Compartilhar
Continue Lendo

União de esforços: saída para lidar com qualquer crise

As soluções para o enfrentamento das crises atuais são  diversificadas, mas um fator não muda: a união de esforços para a superação dos momentos mais difíceis. Em todo o mundo, as comunidades que conseguem vencer ou amenizar períodos de adversidades são aquelas onde as pessoas são proativas e sentem-se responsáveis pelo coletivo. “Nossas empresas oferecem produtos de qualidade. Nossa indústria fabrica produtos que atendem ao Brasil e ao exterior. Temos profissionais especializados em diversas áreas e, o melhor de tudo, contamos com o apoio de uma sociedade que valoriza sua terra e sua gente”, afirma Maurício Palazzo Barbosa, presidente da Associação Comercial, Industrial e Agronegócios de Jaboticabal (Aciaja).

Segundo ele, o comércio, os serviços, a indústria e o agronegócio do município estão reinventando-se para lidar com a atual crise causada pela pandemia de Covid-19, que, por sua vez, gerou um baque na economia, em função da necessidade do distanciamento social. “Nas cidades nas quais a comunidade está comprometida, unida, as crises são mais facilmente superadas. Observamos que o jaboticabalense, que é reconhecido por sua solidariedade, com certeza está comprometido em valorizar as empresas locais e, desta forma, ajudar a preservar os empregos e a recuperar a renda”, concluiu o presidente da Aciaja.

Se por um lado os consumidores locais estão sensíveis às dificuldades atuais, por outro, os empresários estão criando alternativas para manter a atividade sem, no entanto, comprometer a segurança de colaboradores, fornecedores e clientes.

O que os empresários dizem?

Enoki’s Presentes

Sandra Yurico Enoki Okabe, da Enoki’s Presentes, contou que ela e Roberto Enoki usam a internet para a aproximação com o cliente. “Em uma época em que todos estamos mais do que nunca conectados virtualmente, as redes sociais se tornaram, sem dúvidas, a melhor e mais rápida forma de divulgação e veiculação de informações”, disse.

Sandra comenta que boa parte do atendimento das lojas está sendo via Whatsapp. “Fazemos postagens de produtos no Instagram e no Facebook e tem dado bons resultados. Oferecemos os serviços de delivery após o horário de atendimento presencial. E tomamos todos os cuidados necessários para a segurança dos nossos clientes, fornecedores e colaboradores, como uso e disponibilização de álcool em gel, uso de máscaras e controle de entrada em nossas lojas”, frisou a empresária.

Oxiquímica

Santana, presidente da Oxiquímica Agrociência, acompanha as notícias sobre a transmissão do coronavírus na região e em todo o mundo. “Há várias semanas, estamos implementando medidas necessárias para dificultar a disseminação do vírus e proteger a saúde de nossos colaboradores, clientes, fornecedores e da sociedade como um todo”, garantiu.

Na empresa, houve a adoção do trabalho em casa em funções administrativas e a suspenção de viagens aéreas nacionais ou internacionais. “Orientamos todos os nossos colaboradores sobre as medidas de higiene e para que busquem sempre as informações oficiais do Ministério da Saúde. Assim, continuamos honrando os compromissos com nossos clientes da forma mais cuidadosa possível”, disse o presidente da Oxiquímica.

Santana destaca que a empresa vem usando esse período para repensar seu propósito, utilizando três linhas de atuação. “Neste momento são pilares importantes: a otimização de processos para garantir melhores condições aos nossos colaboradores, ajudando na performance dos nossos processos e deixando-os mais produtivos; o que é valor para nosso cliente, avaliando adequadamente a relação Cliente – Empresa, buscando sempre atender à necessidade do homem do campo; e inovações de retomada, usando essa necessidade de adequação para situações adversas, para criar novas formas de atingir o objetivo final da empresa, que é manter a proximidade com o agricultor, oferecendo soluções integradas para o manejo e aumento de produtividade do campo. Com isso, preparamos nossa retomada com mais rapidez no pós-pandemia”, explicou o empresário.

Quinta do João

João Rafael Garcia, proprietário da Quinta do João, declara que é um momento difícil para todos, porém é uma oportunidade para que cada um tente reinventar-se. “Na Quinta do João, estamos seguindo todas as orientações de segurança sanitária: álcool em gel está disponibilizado em todos os ambientes da loja; a limpeza do local é feita toda vez que um cliente entra na loja; usamos máscaras o tempo todo e as trocamos de acordo com as orientações dos profissionais de saúde; e só deixamos entrar na loja o cliente que está utilizando máscara. Além disso, percebemos que neste momento a população aumentou o seu pedido delivery e, consequentemente, aumentamos nossa entrega em domicílio”, contou João Rafael, lembrando que mesmo no serviço de delivery todos os cuidados são tomados.

Compartilhar
Continue Lendo

ACIAJA celebra parcerias que beneficiam seus associados

Um trabalho que foi desenvolvido nos últimos anos pela Associação Comercial, Industrial e Agronegócios de Jaboticabal (ACIAJA) culminou, na noite de 12 de março, no lançamento de novas parcerias que vão impactar os negócios dos associados. “Esta é uma iniciativa que levou anos de estudo e é de grande valor para as empresas associadas. Nas áreas em que não temos expertise, buscamos parceiros para a prestação de serviços de qualidade”, comemorou Maurício Palazzo Barbosa, presidente da Associação.

Na abertura, Maurício passou a palavra para o ex-presidente da ACIAJA, Celso Cassiano, à frente da entidade de 1990 a 1994. “Maurício e a atual diretoria conseguiram somar todo o trabalho que as demais diretorias fizeram ao longo dos anos para oferecer ao associado um pacote de serviços tão bom e que acaba refletindo na comunidade. Esta união entre várias entidades traz resultados positivos para o município”, ressaltou Celso.

Cuidar das pessoas

O evento contou também com a palestra da advogada e também gerente de pessoas da UCBVET, Renata Guasti. A palestrante abordou a importância de investir na equipe, uma vez que em qualquer empresa são as pessoas que empreendem, lideram e  executam. “Os profissionais podem ser um problema ou um grande diferencial para as empresas. Tudo depende de como é realizada a gestão de pessoas”, afirmou. Na pauta também estiveram pesquisas que apontam o bem-estar físico e mental dos colaboradores como um fator de sucesso nas corporações, numa clara demonstração de que os resultados são mútuos, alcançando os profissionais e as empresas. 

As parcerias que farão a diferença

Na área de alimentação, a francesa Sodexo, que oferece benefícios além dos já conhecidos vale-refeição, vale-alimentação e vale-combustível, apresentou oportunidades que vão facilitar diversas operações com o quadro funcional das empresas. “Temos duas divisões, e cada uma delas oferece vários serviços. Nossos objetivos são trazer flexibilidade de pagamento, redução de custos, redução e controle de absenteísmo e do turnover (rotatividade de colaboradores), engajamento e facilidade operacional”, revelou Rodrigo Damiani, gerente de parcerias da Sodexo.

Os representantes da Unitas Seguros, Rodrigo, Patricia e Leonardo Vilella apresentaram os seguros Sul América e Bradesco Saúde. “Nossa intenção é proteger as pessoas. Estamos no mercado há mais de 40 anos e somos uma empresa familiar, trabalhando com vários fornecedores entre seguro e planos”, explicou Rodrigo, lembrando que a parceria entre ACIAJA e Unitas propõe condições diferenciadas.

A Unimed e a Uniodonto passaram a oferecer condições especiais de adesão aos planos. “A ACIAJA está de parabéns ao unir empresas e gerar vínculos, demonstrando sua clara preocupação com o desenvolvimento da cidade e Uniodonto e Unimed estão de mãos dadas para fortalecer este vínculo”, declarou José Alves, presidente da Uniodonto. A cooperativa odontológica irá oferecer, entre outros benefícios, ausência de taxa de adesão, desconto em folha de pagamento e aprovação on-line.

O presidente da Unimed Jaboticabal, Dr. Luiz Roberto Ferraz, lembrou que a cooperativa é composta por pessoas atendendo pessoas. “Temos a dignidade de ter um atendimento que proporciona qualidade de vida. Se os beneficiários estão satisfeitos, a cooperativa ganha também. Agradecemos, portanto, pela oportunidade de estarmos em um ambiente em que as pessoas comungam os mesmos valores que nós”, afirmou Dr. Ferraz.

Na sequência, Luiz Coelho, gestor de Negócios da Unimed Jaboticabal, falou sobre os novos objetivos. “Nosso propósito é apoiar os empresários na redução do absenteísmo, além da melhoria da empregabilidade e redução do turnover. Visamos, ainda, à melhoria dos indicadores previdenciários, aumento de produtividade, qualidade de vida para os envolvidos e para a população em geral”, detalhou Luiz, lembrando que a parceria firmada com a ACIAJA oferece valores reduzidos em relação à tabela e  produtos regionais.

Compartilhar
Continue Lendo

ACIAJA comemora 88 anos de empreendedorismo

“Chegou a vez do Brasil do futuro? Expectativa para o ambiente de negócios”. Este foi o tema da palestra ministrada por José Antonio Rossato Junior, presidente da Coplana – Cooperativa Agroindustrial, no dia 6 de fevereiro, no evento de comemoração dos 88 anos da ACIAJA.

Fundada em 31 de janeiro de 1932, a Associação Comercial, Industrial e Agronegócios tem uma trajetória marcada pela defesa do desenvolvimento das empresas de Jaboticabal, atuando fortemente na união dos empresários locais, identificação de oportunidades de negócios e articulação com governos e segmentos da sociedade, visando à geração de empregos e renda. Desde sua criação e ao longo dos anos foi conduzida por uma visão empreendedora, aliada às competências e à expertise de cada empresa que compõe seu quadro social.

Após a apresentação de um vídeo sobre a representatividade da Associação, o presidente Maurício Palazzo Barbosa agradeceu a todos pela presença e ratificou a importância do fortalecimento das empresas para o desenvolvimento do município. “São 88 anos de muito trabalho na representação do setor produtivo da nossa sociedade. Nossos projetos não param. Pretendemos seguir rumo ao centenário, agregando cada vez mais valor aos segmentos que representamos, ajudando no crescimento de Jaboticabal e do Brasil”, comentou.

O prefeito José Carlos Hori fez um breve discurso sobre a importância da ACIAJA para a comunidade. “É notório que esta instituição quase centenária acrescenta muito ao nosso município. Sua grande missão é agregar valores e, neste sentido, a inclusão do agronegócio, há mais de uma década, veio somar ainda mais. Sentimos orgulho não só da Associação, mas do agronegócio, que levou Jaboticabal a ser Capital do Amendoim”, considerou Hori.

Palestra

Brasil: chegou a vez do país do futuro? Expectativas para o ambiente de negócios

O objetivo da Diretoria da ACIAJA, com a palestra de José Antonio Rossato Junior, presidente da Coplana – Cooperativa Agroindustrial, foi trazer uma abordagem ampla sobre economia, com uma visão da iniciativa privada e classe produtiva.

Rossato fez uma análise sem distinções partidárias, levando em consideração o Brasil como nação, trazendo sua visão não como especialista em economia ou política, mas como empresário. “Estamos vivendo um momento de amadurecimento de instituições brasileiras. O momento é positivo, com muitas oportunidades para o País”, afirmou.

Sobre o setor produtivo, Rossato reafirmou o protagonismo do agronegócio. “A região de Jaboticabal é privilegiada diante da resseção econômica pela qual o Brasil passou. Também sentimos a crise, porém bem menos que outros municípios e regiões que não tinham um agronegócio pujante como o nosso. Recentemente, tivemos um dado divulgado pela Acirp (Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto), que revela que 70% das exportações da região são do “agro”, sendo 5% provenientes do amendoim e 12% da soja, culturas que estão dentro de Jaboticabal e dos municípios vizinhos”, comentou.

Sobre o ano de 2020 como regra geral, o palestrante falou de uma mudança importante na diretriz econômica. “Houve tempos em que a política ditava a economia, agora é o contrário. A economia é que apresenta suas demandas. O índice de confiança tem um crescimento lento, mas sólido. Os juros atuais criam um ambiente favorável para investimento. E há necessidade de evolução na geração de empregos e renda”, pontuou o palestrante.

Compartilhar
Continue Lendo