Notícias

ENTREVISTA: PREFEITO HORI

Para Hori, “faltaram ações mais incisivas do Poder Público” na economia

 

O NOVO PREFEITO DE JABOTICABAL, JOSÉ CARLOS HORI, ASSUME A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL AINDA COM O PAÍS EM CRISE E SOB UM PERÍODO DE RECESSÃO ECONÔMICA. NESTA ENTREVISTA, ELE FALA DOS DESAFIOS DESSE NOVO MANDATO À FRENTE DA PREFEITURA E DE COMO PRETENDE ENCARAR OS PROBLEMAS DA CIDADE.
“ESTOU PREPARADO PARA FAZER O MELHOR GOVERNO DA MINHA VIDA”. CONFIRA.

 

Jornal da Aciaja: O Caged do Ministério do Trabalho registrou queda nos índices de emprego em Jaboticabal nos anos de 2013, 2015 e 2016. Além disso, neste período, Jaboticabal perdeu empresas geradoras de postos de trabalho, muito importantes para nossa economia. Isso é o resultado da economia nacional, ou é possível reverter essa tendência em termos locais?

Hori: É resultado de dois fatores. A economia nacional começou a enfraquecer a partir de 2011, mas acredito que faltou ações mais incisivas do poder público. A Prefeitura não criou mecanismos e incentivos para “segurar” as empresas em Jaboticabal. Nossa equipe já trabalha para capacitar mão de obra e amenizar este quadro. Nesta semana decretamos que o alvará provisório sairá em apenas 48h. É um avanço e a nossa primeira ação nestes 45 dias de governo para incentivar a economia. Já nos próximos dias também vamos anunciar a vinda de novos empregos chegando a Jaboticabal. Temos muitas novidades e muito trabalho pela frente.

Jornal da Aciaja: Muito tem se falado da dívida da Prefeitura. Objetivamente, qual é o verdadeiro montante da dívida, descontando financiamentos que a Prefeitura paga? E em termos administrativos, como o senhor encontrou a máquina?

Hori: A cidade estava abandonada. Mato alto, buracos e lâmpadas queimadas em todos os bairros, muito lixo e todos os setores administrativos com sérios problemas. A situação financeira da Prefeitura realmente é delicada e, hoje, herdamos R$ 40 milhões de dívidas a curto prazo.

Agora estamos trabalhando para, ao longo destes quatro anos, quitar ou amenizar essa dívida e, ainda assim, realizar obras, gerar emprego, criar vagas em creches, recuperar o asfalto e melhorar muito a saúde pública.

O desafio é grande, mas estou preparado para fazer o melhor governo da minha vida. A população e os empresários podem esperar de mim e da minha equipe muito trabalho, força de vontade e resultados. Já estamos batalhando dia e noite para colocar a casa em ordem. Criamos uma controladoria financeira, formada por funcionários concursados, que ajudarão a tomar decisões. Não podemos fi car olhando para trás, vamos resolver os problemas e avançar.

Jornal da Aciaja: Como e onde o senhor pretende buscar recursos para viabilizar as ações da Prefeitura e qual a perspectiva para isso?

Hori: Já estamos trabalhando para abrir novamente as portas de Jaboticabal nos governos Federal e Estadual. Nestes 45 dias, viajei para Brasília e São Paulo para estreitar relacionamento com deputados, ministros e assessores. O diálogo é sempre o melhor caminho, principalmente em época de crise. Já trouxemos conquistas importantes, como quase R$ 1 milhão de investimento para a
saúde, novas ambulâncias e ações de incentivo ao emprego. Vamos continuar trabalhando com parcerias, metas claramente definidas e corte nos gastos públicos.

Jornal da Aciaja: O Fórum de Debates para Assuntos Relevantes de Jaboticabal – FEJA foi criado com o objetivo de propor soluções comuns para os problemas da cidade. Qual a sua opinião sobre esse fórum? Como a Prefeitura vai tornar viável a participação do FEJA na gestão da cidade?

Hori: Toda ajuda é bem-vinda. Nosso governo está à disposição para as sugestões da população. Meu gabinete sempre esteve de portas abertas e, neste mandato, quero que esteja ainda mais. Os problemas de uma cidade são muito complexos e jamais conseguiria resolvê-los sem o apoio de especialistas e das pessoas que moram e vivem os problemas nos bairros.

Jornal da Aciaja: Nos últimos anos, o Vice-Prefeito de Jaboticabal não teve uma participação relevante na administração da cidade. Como é a sua relação com o vice- -prefeito Vitório de Simoni. Como ele participa da gestão?

Hori: Sim. Temos uma relação de parceria e amizade. Vitório participa das reuniões de secretários e colabora na tomada de decisões.

Por ser do PMDB está muito próximo ao governo federal e este, com certeza, é um dos melhores caminhos para Jaboticabal voltar a crescer. O Brasil vive um momento delicado e as parcerias são fundamentais para as prefeituras, seja com os governos do Estado e Federal, iniciativa privada e/ou sociedade civil.

Juntos, vamos resolver os problemas, avançar em várias áreas e deixar nossa Jaboticabal como a população merece.

Jornal da Aciaja: O combate à corrupção é a pauta da vez no cenário político e exigência da população, que pede mais cuidado com o dinheiro público. Como garantir transparência nas ações da administração municipal?

Hori: Estamos lutando por um governo mais transparente possível. Temos duas equipes trabalhando em deixar as informações mais
acessíveis e didáticas para a população. Em breve teremos novidades nesta área.

Jornal da Aciaja: Como os empresários locais poderão dar sua contribuição para a administração municipal? Já existem termos para possíveis parcerias? Como será possível apoiar a administração municipal?

Hori: As PPP já são uma realidade. As administrações públicas, em especial as prefeituras, precisam de ajuda para fazer as cidades avançarem. A parceria com as empresas privadas e Prefeitura de Jaboticabal será importante no meu governo e trará muitos benefícios para a população. Já estamos negociando alguns projetos neste sentido e divulgaremos assim que forem concretizados.
Em uma época com arrecadação em queda, precisamos de criatividade e parceria porque, sozinhos, governar se torna uma tarefa muito difícil.

Jornal da Aciaja: Jaboticabal integra a Região Metropolitana de Ribeirão Preto. Qual a sua opinião sobre isso?

Hori: É um passo importante para a região avançar de forma global. O transporte público passará a ser metropolitano e a ligação DDD deixará de existir: vamos pagar o custo de uma ligação local. São ações importantes, mas ainda precisamos discutir com o grupo de trabalho outros projetos que podem alavancar a economia de uma forma mais consistente.

Jornal da Aciaja: Quais são as semelhanças e diferenças entre o Hori que assumiu a Prefeitura em 2004 e o Hori Prefeito em 2017?

Hori: Estou mais maduro, com o pulso mais firme e aberto as sugestões. Me sinto mais preparado para governar Jaboticabal, apesar das difi culdades do país. Percebo que nossa cidade continua encantadora, como sempre foi, mas muito mais consciente de seus desafios. Isso é muito bom para o seu desenvolvimento. Juntos, tenho certeza que Jaboticabal voltará a ser aquela cidade que sentíamos orgulho – com saúde de qualidade, emprego e sendo destaque rankings de educação, meio ambiente e cultura.

 

Menos empregos nos últimos quatro anos

O atual Prefeito de Jaboticabal tem o desafi o de fazer a cidade voltar a gerar empregos. Três dos últimos quatro anos apresentaram saldo negativo de postos de trabalho.

2013 2014 2015  2016
 -1.002  176  -551  -790
Compartilhar

Escrito por

O autor não adicionar qualquer informação a seu perfil ainda

Deixe um comentário